Blog: Engenharia do amor - A vida não é matemática


Dizem que a Engenharia explica tudo. Talvez não. O amor é um belo exemplo. O amor quando verdadeiro, esse em verdade não tem explicação. Se no ensino fundamental aprendemos com Pitágoras que a soma dos quadrados dos catetos é igual ao quadrado da hipotenusa, e na simplicidade dessa linguagem poética traduzida em números que a Vida vem mostrar o "não-equilíbrio" de quem se faz valer do Amor.

Amor não é Engenharia. Amor não é conta equilibrada, separada por sinal de igualdade. Amor tende a pender para um dos lados, e se re-equilibra novamente, quando sente que o pólo da relação vislumbra percorrer mesmo sentido e vetor de lado contrário.

Amor é reciprocidade, é querer estar do lado direito da equação e, se precisar, nas casas decimais à esquerda da vírgula, mesmo o radical sendo 0 pois quem ama, cuida.


Singularidade de equações não fundamentadas, sempre acreditei que a força do amor me traria equilíbrio e paz, tal qual uma soma matemática que em clareza nos indica: soma-se um a um, terás então em resultado a somatória de 2. Eu já quis ser dois. E sendo dois, em transcendência física, também me imaginei sendo um dia, quiçá, três, quatro... Ou quantos mais pudéssemos ser. A seguir, a equação All you need is (tudo o que você precisa).



De tanto querer ser par, ímpar me fiz, porém com desejo incandescente de amar. Vejo ímpares em todo lugar, apenas um jogo de pratos na mesa, um copo sob a pia, um garfo para hora de me alimentar. Tudo é ímpar, exceto o que encontro estático aos pés da minha cama, onde ali há um chinelo que por criatividade singular do destino me mostra com esse chinelo que, até ele tem um par.

Enfim, é nessa vida em plena harmonia que a cada momento, tudo nos prova que o amor não é matemática. E de tanto não ser matemática, abre mão de sua completa exatidão. Comprova-se por estar aquém de toda essa assertividade dos números, em um campo abstrato onde o maior equilíbrio se faz presente na infinita interação nossa mente e coração. 

Leandro Silvério.

FOTO: MARIA KOVASHIKAWA E joyce_pereiraaa


Quer saber mais?!
Me acompanhe nas redes sociais:

COPYRIGHT © LEANDRO SILVÉRIO

Um comentário:

  1. Leandro, parabens. Texto muito bem elaborado. Siga sempre em frente. Voce tem talento, dom. DEUS ABENCOE.

    ResponderExcluir

Copyright © 2017 Leandro Silvério. Tecnologia do Blogger.