Viagem - Hikikomori - A síndrome do isolamento social do Japão

         


Outro dia me deparei com uma iniciativa bastante interessante e intrigante enquanto emitia alguns documentos no Consulado-Geral do Brasil em Nagoya, no Japão. Tratava-se de uma diretriz voltada para o a Síndrome do Isolamento Social chamada de Hikikomori em japonês.

Após a visita no consulado, fui pesquisar sobre o tema e de fato a Síndrome do Isolamento Social chamada de Hikikomori em japonês é bastante presente na sociedade que, apesar de economicamente estar muitos anos a frente do Brasil ainda assim reserva um índice de suicídio bastante superior.

Mede-se a felicidade de um país pelo índice de suicídio. Então em linhas gerais, para saber se um país é feliz ou não basta avaliar sua taxa de habitantes que retiraram a própria vida. Dessa forma, comparando o Brasil com o Japão por exemplo o Brasil apesar de todos os problemas é um país "mais feliz," do que o Japão de acordo com o critério estabelecido nesse texto. Lembrando que esse critério está de acordo com o estudo  feito por especialistas da University of Warwick, na Grã-Bretanha, Hamilton College, em Nova York e do Federal Reserve Bank em San Francisco, Califórnia. O texto foi publicado na revista científica Journal of Economic Behavior & Organization.

Em outras palavras, a síndrome do isolamento social do Japão pode ter impactos negativos na sociedade ao ponto de levar a pessoa a tirar a própria vida, senão viver uma existência solitária e triste. Muito disso motivou a iniciativa do Consulado-Geral do Brasil em Nagoya em publicar o texto sobre o assunto.

Na opinião do Blog, o isolamento social não é um clichê. Trata-se sim de uma doença grave, talvez reflexo de uma sociedade onde apesar de toda ordem e progresso, tem o isolamento social por essência em sua vida. Ao praticar o isolamento, reduz-se a zero a possibilidade de tristezas oriundas do contato com outro indivíduo e isso passa a ser considerado como uma "fuga" da realidade em ação direta de proteção do próprio ser, que em essência não quer sofrer. Nenhum ser vivo em plenas faculdades mentais, escolhe sofrer.

Objetivo desse texto é alertar os brasileiros que vivem no Japão de que o governo reconhece o comportamento como doença e o consulado trabalha no sentido de miniminzar os impactos negativos que esta ação pode causar ao indivíduo.

Caso você esteja em Nagoya e queira aconselhamento médico e psicológico do consulado, visite o site a seguir e agende um horário diretamente com o consulado. Até o presente momento, quando este post foi escrito o atendimento era gratuito para brasileiros morando no Japão.


Endereço: 〒460-0002 Aichi, Nagoya, Naka Ward, Marunouchi, 1 Chome−10−29 白川第八ビル2F.

Leandro Silvério.

FOTO: LEANDRO SILVÉRIO


Quer saber mais?!
Me acompanhe nas redes sociais:

Nenhum comentário:

Copyright © 2017 Leandro Silvério. Tecnologia do Blogger.