Poesia autoral: Fui Poeta as custas do vento


Fui poeta as custas do vento.
Havia um grito que ecoava nas janelas do meu peito.
Entre afagos e despenteio.
Palavras ecoavam ao relento.

Fui poeta as custas do vento.
Taça de vinho pela metade,
Frase escrita pela metade.
Era o vazio que mudava de lugar.

Fui poeta as custas do vento.
Calei-me para ouvir.
Outrora fúria; hoje acalento.

Fui poeta as custas do vento.
Levantou as telhas do meu passado.
E deu vida a novos pensamentos.

Leandro Silvério.



Quer saber mais?!
Me acompanhe nas redes sociais:

Nenhum comentário:

Copyright © 2017 Leandro Silvério. Tecnologia do Blogger.