Poesia autoral: Vetor do bem (#Colab Sthefanie Guadalupe)

   

Quando o vento não suave balança.

Quando o sorriso se recolhe.
Quando a bênção é minorada.
Vetor sentido; cala.

A negação é a gênese do temor.
Corrompe aos ouvidos.
Gerando inércia ante dor.
Vetor reprimido; fala.

Sem prefácio definido.
Livro da vida fora aberto pela metade.
Vetor surpreendido; escolhe.

Entre o passado e o futuro.
Tomou-se sentido pelo caminho.
Vetor definido; sonha.

Leandro Silvério & Sthefanie Guadalupe.


Quer saber mais?!
Me acompanhe nas redes sociais:

3 comentários:

  1. A negação é a génese do temor ... Essa frase tem muita referência pra mim aquela "o medo dá origem ao mal"

    Onde o temor corrompe e destorce até o que se escuta.

    E se em excesso, gera um estado de inércia até à dor. Pois não se quer sentir.

    A referência de inspiração da dor que se cala, aquela que se pensa não ter é...

    "E toda dor vem do desejo de não sentirmos dor"

    Mas como diz a profecia que mais tem me intrigado...

    Quem quer passar além do Bojador, tem que passar além da dor.

    Ou seja, não quer dizer apenas superar, mas saber quando surge e enfrenta-la.

    Vetor reprimido, fala!

    Bem imperativo.

    ResponderExcluir
  2. A inércia à dor é a própria sensação de vazio, onde nada se sente.

    ResponderExcluir
  3. Em termos de vetor do bem, os primeiros versos podem ser relacionado ao silêncio causado nos bons, veículos do bem, pelo medo...

    Sem prefácio definido. Livro da vida fora aberto pela metade. Vetor surpreendido; escolhe. Entre o passado e o futuro. Tomou-se sentido pelo caminho. Vetor definido; sonha. Amei!

    ResponderExcluir

Copyright © 2017 Leandro Silvério. Tecnologia do Blogger.