Poesia autoral: A gaveta

Abri a gaveta.
Guardei as incertezas.
Guardei o seu nome.
Encontrei um par de meias.

Abri a gaveta.
Guardei seu olhar.
Guardei seu sorriso.
Vesti uma camisa amarela.

Abri a gaveta.
Guardei seu falar.
Guardei sua pele.
Hoje não encontrei meu cinto.

Abri a gaveta.
Guardei seu coração.
Guardei o que me resta da razão.
Havia apenas um velho jeans rasgado.

Abri a gaveta.
Não encontrei mais nada lá.
Então guardei todo meu amor.
E encontrei apenas alguns fiapos de saudade.

Leandro Silvério.



Quer saber mais?!
Me acompanhe nas redes sociais:

COPYRIGHT © LEANDRO SILVÉRIO

Nenhum comentário:

Copyright © 2017 Leandro Silvério. Tecnologia do Blogger.